O poder da mulher – Amor próprio


Bem, primeiramente gostaria de explicar que meu sumiço se deu por conta da faculdade, estou cursando Pedagogia na PUCRS. Isso me tomou muito tempo, o que me frustra um pouco. Mas, vamos ao que interessa!

Estive passando por uns momentos conflituosas na minha vida, namorado cético (não o julguem), fui expulsa da equipe no centro espírita, porque, bem, eu sou médium de desobsessão e lá era uma equipe de saúde. Nesse momento eu me pergunto, como curar uma pessoa sem tirar o mal pela raiz? Como tratar de uma doença sem matar o que traz essa doença? Bem, nesse momento eu entrei em pânico, meus conceitos e minha fé foram transformados. Fui até jogar búzios em um terreiro, e o homem me disse que eu estava no lugar errado, que meu lugar era na religião afro, e eu “oque? Comoassim?”.

Nesse momento voltei-me para a religião da deusa. Eu tenho outra opção, viu! Se o espiritismo não me quer e a umbanda me quer desesperadamente, mas eu não a quero, tenho o livre direito de escolher outras coisas! Nesse meio tempo conversei com um amigo druida, ele me indicou umas bruxas para conversar, eu realmente precisava de alguém pra me guiar, de fato isso já estava no ponto de ser resolvido. Fui, conversei, e mais uma vez, uma pessoa que nem me conhecia direito falou que eu precisava de amor próprio! Antes de querer amar o outro, eu preciso me amar e me aceitar.

As palavras dela ficaram reverberando na minha cabeça o dia todo. Fui à um ritual  para mulheres à noite, com outra bruxa conhecida. E esse ritual me caiu como uma luva. Era o que eu precisava, realmente. Ela fez um círculo conosco, éramos treze mulheres. E cada uma disse o que veio procurar. Quando chegou a minha vez pensei, bem, tenho que ser verdadeira! Falei: "Eu vim buscar meu amor próprio, porque eu passei o dia todo pensando, e eu realmente não tenho. Eu não me amo". Todas elas me olharam espantadas. A minha amiga bruxa falou que fui corajosa. Será mesmo? Eu só admiti o que estava se passando comigo, e eu não admiti para as outras doze, mas para os deuses e seres de luz ali presentes.

Enfim, todo o ritual se baseou em se reconectar com a Deusa, a terra, Gaia, Ishtar e as deusas do amor. E agora é que vem a lição. Nós, mulheres, acumulamos muitas coisas no nosso útero, que é nosso caldeirão sagrado. Deixamos que todo o tipo de coisa nos afete e nos julgue. Não somos santas, não somos putas, não somos mal amadas, e essa imensidão de coisas das quais nos atribuem, somos apenas mulheres, nós buscamos a nossa felicidade, nossa sexualidade, nosso bem estar físico, mental, emocional e espiritual como qualquer outro homem.

O mais importante, que as vezes as feministas radicais náo se dão conta. Precisamos sim da energia masculina, é um equilíbrio, mas temos o direito de escolher quem será o homem. Se tu fez uma escolha errada, não culpe todos os homens, nãoculpe deus ou os deuses. Lembre-se que as pessoas não sabem da tua existência a menos que passem a te conhecer.

Mas, você se ama mesmo?

Se eu me amasse realmente não precisaria da aprovação dos outros para fazer as minhas coisas. Também não buscaria o amor nos outros. Se eu me amasse, saberia que ninguém é meu dono ou pode mandar e desmandar em mim. Se eu me amasse, não né preocuparia com a aparência, a estética como eu me preocupo. Tudo tem que estar impecável na minha maquiagem, no meu cabelo, nas minhas unhas, senão o que vão pensar de mim? Que sou uma relapsa e relaxada.

Não, meu bem, ninguém além de você vai pensar isso, e se pensar, o que isso vai lhe acrescentar? Porquê, pagar as tuas contas ninguém virá, não é mesmo? Sentir a sua cólica, sangrar por você, aquele cara legal e bonito vai vir fazer isso? Não, afinal, a menstruação é suja e te deixa imunda. Ser mulher é um fardo. Passar o que eu passo.
Já pensou nas mulheres incríveis há 5,000.00 anos atrás? Antes do catolicismo. Elas honravam sua menstruação. Elas amavam seu útero, porque ele é a fonte sagrada da dua energia!

Então cara irmã que está lendo isso. Pare de se culpar pelas coisas que os outros falam! Você deve expelir toda essa energia para fora do seu útero.

Como?

O poder da visualização é divino e muito forte. É poderoso! Em algum momento do seu dia, deite e relaxe, de preferência de parriga para baixo, sinta-se abraçada pela deusa, passe um tempo trabalhando isso. Depois inspire fundo, e ao expirar jogue para fora junto tudo o que te aflige, tudo o que teu útero carrega, toda a dor, o julgamento, o estupro, a violência, tudo. Solte não só com a respiração, mas com a vulva também. Sinta-se uma com a Grande Mãe, com os quatro elementos, mude e comece agora, e comece por dentro.

Fiquem na paz, uma boa semana. 

2 comentários:

Deixe sua opinião, comente! Concorde ou discorde, que assim, o conhecimento e a palavra será passada adiante estimulando novos pensamentos e conceitos!
Blessed Be!
)O(

Filha da Lua - Cozinha, Magia e Travessuras © Copyright 2014. - Versão 1 Coruja da Bruxa. - Original de Muryel de Oliveira. Tecnologia do Blogger.